Windows Server 2016 ponto de partida

Olá a todos, sejam bem-vindos ao blog de tecnologias Microsoft – MSExperts – este post será minha primeira contribuição para o blog, espero colaborar ao máximo com a comunidade Microsoft e auxiliar colegas e amigos com o compartilhamento de conhecimento.

Mãos à obra…

 

Em 2016 o Windows Server completou seu aniversário de 20 anos, desde sua primeira versão até o Windows Server 2016, foram realizadas inúmeras melhorias e implementações de funções que buscam se adaptar aos mais diversos modelos de negócios existentes. Foram anos de estudos e desenvolvimento para chegar ao produto que temos disponível hoje.

Sem mais delongas, vamos falar brevemente do produto mais atual da família Windows Server, o WS 2016 (Codinome: Redstone), nos futuros posts, abordarei tópicos de todos os níveis relacionados a este SO, bem como alguns que apenas citarei neste post.

 

Windows Server 2016

Image result for núvem on premises, hybrid, publicaO Windows Server 2016 foi formulado para atender as demandas atuais de densidade e escalabilidade, tendo como foco principal a atuação em nuvem, entregando a possibilidade de trabalho em modo on-premises (Nuvem privada, Windows Server & Hyper-V), hybrid (Azure Stack & System Center) ou em public (Azure).

 

O Windows Server 2016 traz consigo várias melhoriascomo falaremos detalhadamente destas features em futuros posts, trago aqui as 10 principais features, em minha opinião, do Windows Server 2016, vamos lá:

 

Nano Server

O Nano Server é uma versão reduzida (bem reduzida 🙂 ) do Windows Server, não possui GUI (Interface Gráfica). Ele é projetado para executar serviços específicos e ser gerenciado totalmente de forma remota. A Microsoft descreve o Nano Server como “um sistema operacional projetado para executar aplicativos e contêineres nascidos em nuvem”.

 

Windows Server Containers e Hyper-V Containers

De forma resumida, os contêineres do Windows Server, são ambientes isolados no Windows Server 2016 que isolam serviços ou aplicativos em execução no mesmo host de contêiner. São dois tipos possíveis de contêineres, Windows Server Contêiner e Hyper-V Contêiner, estes distinguem-se pelo nível de isolamento, onde de forma bem resumida, no Windows Server Contêiner o Kernel do SO do Host é compartilhado com todos os contêineres, já no Hyper-V Contêiner, o isolamento é total, por tratar-se de uma Virtual Machine.

 

Suporte para Docker

Image result for docker

Docker é uma engine de código aberto que é usado para construir, executar e gerenciar contêineres. Contêiners Docker foram originalmente construídos para Linux, agora o Windows Server está na parada também. Podemos usar o Docker para gerenciar Windows Server e Hyper-V Contêineres.

Atualizações nas funções de Hyper-V e Storage Cluster

No Windows Server 2016 é permitido adicionar um nó do Windows Server 2016 a um cluster Hyper-V com nós que executam o Windows Server 2012 R2. O cluster continuará a ser executado no nível funcional do Windows Server 2012 R2 até todos os nós do cluster terem sido atualizados para o Windows Server 2016.

 

Adição/Remoção de memória virtual e placas de rede virtuais

Outro grande novo recurso do Windows Server 2016 Hyper-V é a capacidade de adicionar e remover memória virtual e adaptadores de rede virtual enquanto a máquina virtual está sendo executada. O Windows Server 2016 permite que você altere a RAM alocada enquanto a VM estiver ativa mesmo se a VM estiver usando memória estática.

 

Nested virtualization

Related image

Basicamente com este recurso ativo, é possível “rodar” um Hyper-V dentro de outro Hyper-V, sendo possível criar um ambiente virtualizado inteiro dentro de outro. TIPO MATRIX 🙂

 

PowerShell Direct

O PowerShell Direct permite que você execute os comandos do PowerShell no sistema operacional de uma Virtual Machine sem necessidade de rede.

 

Linux Secure Boot

Outro novo recurso do Windows Server 2016 Hyper-V é a habilidade de habilitar o boot seguro para Virtual Machines com sistemas operacionais Linux. O Secure Boot é um recurso da especificação de firmware da UEFI incorporada nas VMs da geração 2 que protege o código de hardware do kernel da VM contra ataques de rootkits e outros malwares de boot.

 

Host Guardian Service e Shielded VMs (Virtual Machines Blindadas)

O Host Guardian Service é uma nova função no Windows Server 2016 que permite que máquinas virtuais estejam protegidas de acesso não autorizado, mesmo de administradores Hyper-V.

 

Storage Spaces Direct

O Windows Server 2016 também tem várias melhorias no sistema de armazenamento, um dos mais importantes é a nova funcionalidade Storage Spaces Direct. O Storage Spaces Direct é a evolução do anterior Storage Spaces do Windows Server 2012 R2. O Windows Server 2016 Storage Spaces Direct permite que um cluster acesse o armazenamento JBOD em um enclosure externo como o Windows Server 2012 R2 ou também pode permitir acesso a discos JBOD e SAS internos aos nós do cluster.

 

Finalizo este resumão das novas features do Windows Server 2016 deixando alguns links para maiores informações sobre este produto:

Site oficial

Baixar o SO

 

Aproveito para convidá-los a acompanhar minhas próximas postagens bem como as dos meus colegas de blog, muito obrigado, grande abraço e até a próxima!

Um comentário em “Windows Server 2016 ponto de partida

  • 09/12/2016 em 17:44
    Permalink

    Muito bom, pessoal! Obrigado por compartilhar o conhecimento.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: